A UniFanor recebe pelo 2ª ano o evento mundial Fashion Revolution

Entre os dias 23 a 29 de abril estão ocorrendo a Semana Fashion Revolution. Movimento mundial, presente em mais de 92 países, que promovem eventos em busca de conscientizar sobre a cadeia de produção de roupas, discutir sobre moda sustentável e do real custo de uma peça que vestimos. A campanha teve início em decorrência do desabamento do edifício Rana Plaza, uma fábrica de tecidos em Bangladesh, em 24 de abril de 2013 que deixou 1.133 mortos e 2.500 feridos.

Após esse desastre o movimento Fashion Revolution surgiu como um meio de discursão e crítica a essa cadeia de produção e consumo da moda desenfreado atual e vem buscando a conscientização para os impactos ambientais e sociais que ela causa.

Com a hashtag #Quem Fez Minhas Roupas? Busca com que os consumidores questionem as marcas: onde essas roupas estão sendo produzidas? Por quem estão sendo feitas? Qual a procedência do material utilizado? e assim criar essa conscientização tanto em quem comprar como quem produz também.

Aqui no Brasil os eventos acontecem em 17 cidades brasileiras, incluindo Fortaleza que iniciou essa semana de discursão, no dia 23, no Centro Universitário UniFanor | Wynden com o documentário River Blue que mostra a poluição dos rios pelas fábricas têxteis despejando água contaminada com produtos químicos e resíduos nesses locais. Lopo após aconteceu uma mesa redonda que foi integrada por Bia Guedes, que mediou as exposições dos palestrantes Olga Moara (Borandá Sapatos), Mariana de Castilho (Ateliê Pavão Misterioso) e Isabella Freire (Muambada Brechó).  As palestrantes falaram sobre suas perspectivas acerca de moda, consumo responsável e sustentabilidade.

Olga Moara (Borandá Sapatos) cita que o estilo de vida consumista é insustentável, defendendo o protagonismo feminino para uma mudança de atitude no consumo.

A ressignificação de peças e resíduo zero são mencionados por Mariana de Castilho (Ateliê Pavão Misterioso) como ações importantes no mundo fashion.

Já Isabella Freire (Muambada Brechó) frisa que o reaproveitamento de peças é fundamental para darmos melhor destinação aos itens de vestuário de maneira geral.

“Eu acredito que o ‘Fashion Revolution’ veio a ser um divisor de águas para o setor da moda, e através dele, vamos ter uma mudança de comportamento”, comenta a professora do Curso de Designer da UniFanor, Priscila Medeiros.

Durante toda essa semana aqui em Fortaleza esse movimento de conscientização de consumo também tem ocorrido na Faculdade Ateneu, Unifor, e UFC com a exibição do documentário River Blue, mesas redondas e workshops.

 

Texto: Luana Marques e Jamile Ipiranga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *