Abertura da Semacom 2018 – Comunicação e Democracia

Texto: Beatriz Teixeira e Jéssica Marte

A Semana da Comunicação 2018 do Centro Universitário UniFanor | Wyden, deu início a conferência de abertura com o tema “Em que mundo estamos? A Comunicação como Instrumento para a Democracia”.

O evento mediado pelo professor Edmilson Miranda contou com a participação de Rafael Mesquita, secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce) e diretor de educação da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Raquel Caminha, Doutora em História Social pela Universidade Federal do Ceará e membro do Grupo de Pesquisas e Estudos em História e Gênero (GPEHG), na UFC, e também com a presença de Daniel Fonseca, jornalista formado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), mestre e doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-Pós/UFRJ)

Dentro do tema da Semacom 2018, Comunicação e Democracia, os palestrantes abordaram temas voltados para a atual situação político social do país, relacionando com os conceitos da mídia sobre a dominação por grupos de comunicação, feminismo, golpe militar e representação da mídia política.

Rafael propôs questionamentos como “O direito a comunicação é atendido no Brasil? ”, refletindo também sobre a concentração midiática no Brasil e a influência do coronelismo eletrônico, que faz referência aos grupos familiares em grandes grupos de comunicação.

Raquel que também é Pesquisadora da Ditadura Militar fez uma abordagem sobre “Mobilizações do Gênero e Golpe de Estado (1964 e 2016) ”, relacionando com o estereótipo de que a mulher deve ser “Bela, recatada e do Lar”. Além disso, Raquel também abordou os temas e conceitos de Sufragismo, que é visto como um dos primeiros movimentos feministas na Inglaterra. Para ela, a partir das lutas das mulheres foi que se iniciou a chegada delas ao poder, em determinados momentos inclusive, com o apoio dos homens. Falou também sobre o feminismo ser o ideal de sujeito, mas de modo que não exige o seu enquadramento nesse contexto.

Daniel Fonseca discorreu sobre a “Economia da atenção” e as grandes operadoras de realidade descoladas, encerrando a mesa redonda com o seguinte questionamento “Como lutar pela democracia com todo esse contexto complexo, se não com grande otimismo e força de vontade, para que a juventude não se desespere com a atual situação do país, em busca de democracia e direito?”.

Professores e alunos das áreas de design, jornalismo, publicidade e propaganda e rádio/TV estiveram presentes durante toda a manhã. A Semacom ocorre ainda ao longo da tarde e noite de hoje, e segue nos dias 03 e 04 de maio no Centro Universitário UniFanor | Wyden, Campus Dunas.

Palestrante Rafael Mesquita (Foto: Milla Christie)

 

Palestrante Raquel Caminha (Foto: Milla Christie)

 

Palestrante Daniel Fonseca (Foto: Milla Christie)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *