Agenda Edu: edtech impulsiona a comunicação no sistema de educação brasileiro

Texto: Higor Freire

Empresa cearense Agenda Edu desenvolve uma plataforma que concilia educação com tecnologia, empregando e aquecendo o mercado em nível nacional.

Anderson Morais, 28, é o CEO da empresa fundada em 2014, inicialmente chamada de Agenda Kids. (Agenda Edu/ Reprodução)

Educational Technology é o termo desenvolvido para as tecnologias educacionais, ou edtech, mais popularmente conhecida. As startups (termo que designa uma empresa de modelo jovem e em sua maioria digital) estão em alta no mundo e começam a esquentar o mercado de trabalho no Brasil consideravelmente. Segundo a ABSStartup, os números de startups relacionados com o segmento de edtech possuem a média de 250 empresas instaladas no país.

Em abril do ano passado, a Pequenas Empresas & Grandes Negócios, lançou um ranking das 100 startups brasileiras “para ficar de olho”. Dentre as 100 empresas escolhidas (lista essa montada através de 1,3 mil inscrições) apenas cinco integram a  região Nordeste. A Agenda Edu foi uma das apontadas, protagonizando o cenário cearense, por ter sido a primeira no estado a desenvolver uma plataforma em formato de aplicativo, para conciliar e facilitar a comunicação entre pais, alunos, professores e a escola. Hoje já está presente até mesmo em setores da educação de nível superior.

Criada em 2014, inicialmente chamada por “Agenda Kids”, o projeto ganhou vida durante a edição cearense do evento Startup Weekend, ainda naquele ano.  A plataforma educacional é dirigida e acompanhada de perto pelos quatro  cofundadores – Anderson Morais (CEO), Carlos Alan, Fernanda Catunda e Pietro Occiuzi. A ideia foi concebida quando um dos sócios, Alan, perdeu um baile de carnaval da pequena filha por não ter conseguido acompanhar a tradicional agenda escolar de papel.

Focados em se consolidar no grande e competitivo mercado de trabalho a empresa conta hoje com 1.500 escolas clientes de seu serviço, contabilizando um número de mais de um milhão de pessoas usuárias do aplicativo, que antes, limitava a atender apenas ao público infantil de 0 a 6 anos. Hoje, a empresa atende a uma diversificada faixa etária em todo o país, possuindo uma sede no estado de São Paulo. Não surpreendendo, conforme o ritmo em que crescia e tornava-se conhecida, não tardou a ganhar concorrentes, como a Escola em Movimento, Iscool app, Class app, Simplifique, dentre outros.

A plataforma digital busca não só atender e agregar clientes, mas fechar parcerias e investimentos promissores com grandes nomes no cenário empresarial. O prêmio Santander Universidades reconheceu a startup na categoria de empreendedores, doando R$100 mil reais a empresa. Em dezembro de 2017, a DOMO Invest levou R$3 milhões, no final de 2018 a Omidyar Network também investiu na empresa, mas a Agende Edu preferiu não revelar a quantia.

Pode-se observar a preservação ecológica gerada, pois com a grande quantidade de papel economizado, é evitada uma demasiada produção de lixo. Esse modelo de negócio proporcionou também um maior dinamismo, interatividade e modernidade, que condiz com a realidade tecnológica (e até imediatista) em que todos estão envolvidos atualmente através dos smartphones. Desse ponto de vista é mais visível o quão institucional um startup pode ter sua imagem construída através do olhar da sociedade e do público que o utiliza diretamente.

“Trazendo a Agenda Edu para dentro da escola a gente consegue reduzir custo e em vez de a escola gastar toneladas e toneladas de papel mandando comunicado, atividade, ela pode fazer tudo isso pela Agenda Edu. Além disso, ela reduz o tempo do profissional, pois em vez de ter uma pessoa para distribuir as coisas em sala, fazer comunicados, ficar grampeando em agenda física, conferindo, não é preciso ter alguém dedicado para isso. Pode ser feito pelo próprio professor de forma bem ágil, conseguindo economizar tempo e a escola conseguindo economizar dinheiro. Então isso vale para todas as escolas, desde as escolas de baixa e alta renda.”, destaca o líder de vendas da Agenda Edu, Breno Oliveira, 22.

Questionado em como atrair tantas escolas dos mais diferentes padrões e localidades no Brasil, o líder de vendas garante que é o foco e a assistência dada às escolas. “O que a gente tem é o foco no cliente em si, então a gente sempre gosta de fazer com que ele tenha sucesso com a nossa plataforma. O que deixa muito claro isso é o setor que tem aqui na Agenda Edu que é o setor de sucesso do cliente, então temos um setor dedicado de cerca de 25 pessoas só para implantar a Agenda Edu e auxiliar a escola durante toda a trajetória conosco.” finaliza.

Dentro de uma visão interna escolar, é visível a efetiva praticidade do uso do aplicativo em funções além mesmo do que antiga agenda de papel oferecia. Isabel Albuquerque, supervisora da Escola Creche Mundo da Fantasia, no bairro Dunas, afirma que tudo fica registrado: “Se o pai recebeu a informação, se o pai leu a informação, se o pai confirmou o recebimento. Não tem a possibilidade, por exemplo, de mandarmos um comunicado e ficar sem saber se o pai teve acesso, na mesma hora que os pais veem uma mensagem no chat ou vê um comunicado que foi enviado nos eventos, temos como saber o dia, hora, que o pai visualizou e confirmou o recebimento ou não.”.

Tanto as escolas quanto os pais passam a compreender o diferente papel de ambos, pois torna-se mais transparente as responsabilidades que cada um deve ter e como as executar, seja com o aluno ou com o filho. “[…] Lá (no aplicativo) também fica registrado toda a rotina da criança, a qualquer momento posso entrar e ver se no dia “X” ela teve aula, qual foi o conteúdo, se naquele dia ela comeu, foi embora mais cedo. Quando isso era na agenda de papel eu tinha que ter acesso a agenda que às vezes estava em casa, então isso pra mim facilitou por demais, é uma ferramenta que eu utilizo muito e facilitou a minha vida.”, complementa Isabel.

Entretanto, no começo não foi facilmente aceitado por parte dos pais a troca de agenda física por uma agenda online, “mas não pelo o aplicativo ser ruim, muito pelo contrário o aplicativo é excelente”, garante a supervisora da escola, mas por ser uma nova realidade para os pais. “Diziam que o celular era limitado, não comportava o aplicativo, outros realmente preferiam a agenda de papel pelo costume, pelo habito, mas com o passar do tempo nós não encontramos mais esse tipo de realidade. Desde 2015 que a gente adota como agenda única, não temos mais agenda de papel e todos os pais tem o aplicativo no celular e se comunicam com a escola e isso hoje está super tranquilo, tivemos uma resistência mas foi uma realidade cinco anos atrás.”.

Segue abaixo uma entrevista realizada com a sócia e cofundadora da Agenda Edu, Fernanda Catunda:

GC– Quantas pessoas vocês conseguem empregar atualmente apenas no estado do Ceará? E a nível nacional?
Fernanda Catunda – Em Fortaleza nós temos cerca de 68 pessoas e no Brasil 72, esse é o nosso quadro hoje.

– Quais são as qualificações necessárias para ser contratado? Existe algum perfil ideal de funcionário que vocês buscar trazer para a empresa?
– Quanto ao perfil nós buscamos pessoas empreendedoras que não tem medo de arriscar, que tem brilho no olho, que acreditam no nosso propósito, que não tenham medo de encabeçar o novo projeto, não tenham medo de se arriscar. Esse é o tipo de pessoa que nós buscamos. Nós não temos restrição ao tipo de curso, de idade ou de sexo. Para você ter uma ideia nós temos engenheiro de produção, engenheiro petroquímico, geógrafo. Nós temos pessoas dos mais diferentes cursos, mas o que nós mais buscamos são pessoas apaixonadas pelo nosso propósito, que realmente tem vontade de atuar na educação e vontade de fazer a diferença na educação, é isso que nós buscamos.

– É fácil observar na Agenda Edu um ambiente de trabalho formado de pessoas mais jovens, independente do cargo. Qual identidade da empresa vocês constroem para mostrar ao mercado de trabalho e possíveis clientes?
– A nossa principal identidade é realmente… porque nós somos uma empresa de educação, não é? Nós gostamos sempre de dizer que não somos uma empresa de tecnologia por vender, nós somos uma empresa de educação com viés tecnológico. Nós entramos na escola realmente para fazer a diferença, para entender a dor dela, temos um propósito, queremos ajudar a escola a se aproximar das famílias para que juntas elas possam construir essa jornada, então essa é a imagem que nós levamos, de uma empresa que realmente acredita que o único jeito de mudar o nosso país é através da educação.

– Num panorama de 2018, qual teria sido a margem de arrecadação da empresa? Quais outras marcas investem na Agenda Edu?
– Arrecadação eu não posso te falar porque é sigilo do fundo (algumas empresas que investem dinheiro na Agenda Edu exigem confidencialidade de investimento, arrecadação e lucro) que investiram na empresa. Mas eu posso te falar que temos hoje mais de 1.500 escolas. Ano passado terminamos o ano com mais de 1.200, agora temos mais de 1.500 em todo o Brasil.O nosso preço varia de R$1 real a R$5 reais por aluno/mês. A nossa média são de 200 alunos por escola.

– Quais são os planos para o futuro da empresa? Cogitam aderir a mais um novo tipo de serviço centralizado no setor da educação?
– Enquanto aos planos também eu não posso te falar muita coisa (risos), mais uma vez por causa do fundo. Mas assim, nós acreditamos que foco é o que garante muito do sucesso, então ela tem foco na comunicação escolar e é nisso que nós pretendemos continuar focando. Em relação a parcerias fizemos algumas que em breve serão reveladas.

Julianna Formiga

Jornalista e professora na DeVry Fanor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.