Redes Sociais Jornal Grande Circular
Jornal Laboratório
Devry | Fanor | Nucom

Em busca do sucesso

Foto: Milla Christie

Texto Milla Christie

Tudo começou em 1867, com uma sequência de três jogos entre as universidades americanas, Harvard e Yale. Um jogo misturado entre regras do Rugby e um futebol inventado na Europa, ainda sem regras definidas, mas que com o passar dos anos foi se ajustando e crescendo cada vez mais.

A fama do esporte é tão grande que foi criado o Super Bowl, que se tornou o espetáculo mais esperado do ano e é transmitido no mundo todo. Considerado um dos mais lucrativos do mundo, na última edição para ter um pequeno anúncio de 30 segundos divulgado durante o intervalo, estava sendo negociado entre US$ 3 milhões e US$ 5 milhões. Para completar o grande espetáculo, cada edição tem shows de estrelas da música como Beyoncé, Lady gaga, Coldplay, Michael Jackson, entre outros.

O esporte é baseado na velocidade, na agilidade, na força e na capacidade tática dos jogadores, onde trabalham em equipes, se dividindo em papéis como bloquear, empurrar e perseguir os adversários para impedir que façam os pontos, e a jogada mais valiosa do jogo é chamada de Touchdown. Mas o esporte é apenas isso? É tão simples assim? Não, o jogo tem muitas regras.

 

Regras

Cada time é composto por 11 jogadores com funções bastantes especificas, como os que tem a posse da bola, que é o time de ataque (ofensivos), com intenção de avançar pelo campo através de corridas até cruzar a linha do gol e chegar na End Zone (zona final). O time adversário, portanto, é o time de defesa (defensivo), que tenta parar o time de ataque e recuperar a posse de bola. Quando o time de ataque marca ponto ou perde a posse de bola, os papéis serão invertidos, e aí o time que era de ataque se torna o time de defesa e vice-versa.

Para quem pensa que esse esporte é exclusivo dos Estados Unidos se engana, o esporte ganhou o mundo, formando ligas e federações em outros países, inclusive no Brasil, onde começou nas praias do Rio de Janeiro por volta dos anos 90. A partir daí o esporte foi se espalhando por vários lugares do país.  

No Brasil existem três modalidades do esporte, o Futebol Americano Equipado, o Futebol de Praia e o Flag Football, mas organizados pela CBFA existem quatro nacionalmente, o Futebol Americano, a BFA (equivale a 1° divisão), a Liga Nacional (2° divisão) e o Torneio Endzone (campeonato feminino). Além dos nacionais, tem os regionais como a Liga Nordeste e os campeonatos estaduais organizados por cada estado.

Foto: Milla Christie

No Ceará…

Em 2002 foi formado o primeiro time no Ceará, o Ceará Cangaceiros, poucos anos depois em 2007, surgiu  os Dragões do Mar. Em 2013 esses dois times se uniram para formar o Ceará Caçadores e hoje jogam na superliga. Em 2009 surgiu mais um time, o  Roma Gladiadores, que disputa a divisão de acesso à liga nacional. No Brasil a modalidade jogada é o College Football.

Em 2016 um grupo de amigos se juntavam para se exercitar nas areias da praia de Iracema, jogando aquele esporte tão diferente visto em tv e filmes, tendo para eles apenas como um hobby, mas cada vez mais apareciam pessoas pedindo para treinar com eles e vendo que cresciam progressivamente, decidiram formar um time de futebol americano, originando-se assim, o Fortaleza Tritões.

Magnum Bezerra, 32 anos, é hoje o presidente do Tritões e também jogador. Conta que tiveram muito apoio de outros times de Fortaleza, como o Ceará Caçadores, que os ensinaram a jogar, e fizeram com que eles realmente decidissem formar um time e ir adiante. Explicando sobre a escolha do nome, Magnum relata que a opção se deu pela proximidade com o mar, já que eles treinam no aterro da praia de Iracema. “Inicialmente nós não tínhamos um projeto de time, era um projeto de iniciação esportiva, ou seja, quem vinha pra cá, aprendia fundamentos do futebol americano para fazer seletivas para outros times”. No primeiro jogo Magnum disse que foi uma sensação totalmente nova, nervosismo e felicidade por ter marcado ele mesmo o Touchdown.

O time Fortaleza Tritões não tem renda, todos os uniformes, acessórios e viagens são pagos por eles mesmos, porém, ele tem alguns patrocínios que não lhes dão dinheiro, mas ajudam com descontos nos equipamentos como a Blockstone, que é a primeira empresa a desenvolver os uniformes de futebol americano no Brasil. E também como patrocínio, eles tem o pub Bulls Beer House, que segundo Magnum, estão sempre de portas abertas para recebê-los.

Jefferson Silva, treinador do Fortaleza Tritões e jogador do Ceará Caçadores, conta que os jogadores devem ter um bom preparo físico já que o esporte exige muito deles. Os jogadores do Fortaleza Tritões treinam 3 dias da semana e os outros dias devem fazer academia ou crossfit, e não é só isso, os jogadores também têm aulas teóricas para estudar suas posições. “Precisam saber o que fazer em determinadas situações, o jogo é muito dinâmico, como não posso dar comandos a eles a todo momento, eles precisam saber reagir”, esclarece Jefferson.

Bernardo Klaus, 22 anos, é jogador do Fortaleza Tritões. Joga desde o começo, e conheceu os Tritões através do Instagram, até então nunca tinha jogado o esporte e nem conhecia, mas começou a ir para os treinos e logo já estava no time.

Se você gostou e se interessou no esporte, saiba que o time faz novas seleções de 4 em 4 meses, basta ficar de olho nas redes sociais e ter acima de 16 anos, eles treinam no aterro da praia de Iracema nas terças e quintas a partir de 19h e aos sábados a partir das 15h.

Instagram do time Fortaleza Tritões: https://www.instagram.com/fortalezatritoes/

Facebook do time Fortaleza Tritões: https://www.facebook.com/fortalezatritoes/?ti=as