Futebol, um caso de amor!

Texto: Arielly Lima

Pra começar, eu sou mulher, e ser uma mulher que gosta e entende (não muito rs) de futebol sofre. Provavelmente as que entendem de carros também. Assim como os homens que cozinham ou entendem de moda.

Desde pequena sempre vi meus familiares torcendo muito, gritando, chorando, indo aos estádios, vestindo a camisa e defendendo seus times com todo amor do mundo. Com o tempo fui começando a me interessar por futebol também, e não vou dizer aqui que entendo e sei de cor todas as regras do jogo, porque pra ser sincera, eu não sei não. Tudo não. Mas não quero falar sobre todas as coisas que uma mulher escuta simplesmente por gostar de futebol, aqui eu quero apenas expressar meu amor pelo esporte.

O futebol me alegra, me faz rir, me faz chorar (nem me lembre do 7×1), me deixa triste, me deixa irritada, e tudo isso em apenas 90 minutos de partida. No momento do jogo, os sentimentos afloram, e aparecem com mais intensidade. Seu melhor amigo pode virar um inimigo durante uma partida se vocês torcem para os times que estão se enfrentando em campo. Você nem mesmo se reconhece durante o jogo. Muitos deixam escapar palavrões e até chegam a inventar alguns na falta de novos.

O apito, a bandeira, a camisa, a cara pintada, o gesto de levantar as mãos como se fosse segurar a bola que vai no ângulo do goleiro, pular do sofá na hora de um gol, criticar o juiz que não marcou aquela falta, ou elogiar quando a falta é a favor do seu time. Tudo isso nos faz torcedor.

Você não é o árbitro do jogo, você é aquele que o critica o tempo inteiro. O futebol tem o poder de criar divindades, lendas do esporte, e também alguns jogadores que você não quer ver nem pintado de ouro. É um esporte emocionante e muito apaixonante, e você nem precisa saber jogar para amá-lo.

O primeiro mundial disputado em terras brasileiras ocorreu em 1950, quando nossa seleção foi derrotada na final pelo Uruguai em pleno Maracanã lotado, episódio que ficou conhecido como “Maracanazo”. Em 2014 o Brasil teve a chance de espantar esse fantasma, mas acabou sofrendo novamente uma derrota marcante em casa, perdendo de 7×1 para a Alemanha, que mais tarde se consagrou como campeã. 

Muitos brasileiros deixaram de acreditar na nossa seleção depois desse triste episódio. Mas eu não. E sei que muitos outros brasileiros também não. A copa de 2018 está aí, ao nosso lado, e minha camisa já está preparada, minha rua está novamente sendo enfeitada de bandeiras e tirinhas. O povo brasileiro já até tem fama de que “quem é brasileiro não desiste nunca”, e isso é verdade. Nunca, jamais eu deixarei de acreditar na nossa seleção, nos nossos meninos de ouro que vestem nosso verde e amarelo, e que dão um duro danado para trazer esse titulo para nossa casa, para o nosso Brasil. O título do HEXA, o sonho de mais uma estrela estampada no nosso símbolo.

Alguns sociólogos dizem que para conhecer uma sociedade, basta saber qual é o esporte mais popular do país. Acertaram em cheio, pois somos realmente um povo apaixonado pelo futebol, onde os torcedores se esquecem de todos os problemas durante os jogos. Nosso futebol está associado à criatividade, uma mescla de arte corporal e mental cuja finalidade é obter a plenitude, a felicidade. A paixão não é eterna, menos mal. Mas ela se transforma com o tempo em amor, que é algo mais duradouro e eterno. Quem vê um torcedor apaixonado por futebol sabe que isso deixa sua essência mais completa, para obter uma imensa sensação de plenitude.

A seleção brasileira entra em campo pela primeira vez nesta Copa de 2018, no dia 17 de Junho contra a Suíça, às 15h, e como está o coração? Você certamente pode brincar e dizer que está batendo. Mas que sentimento ecoa dentro de você nesse momento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *