Segundo dia da Semacom 2018, Mídias Alternativas – Comunicação nos Movimentos Populares

Texto: Beatriz Teixeira e Jéssica Marte

No segundo dia da Semacom 2018, o Centro Universitário UniFanor | Wyden recebeu Bruno Xavier, Léo Silva, Lucianna Silveira e Uirá Porã na Mesa redonda sobre Mídias Alternativas – Comunicação nos Movimentos Populares. Thalita Guimarães foi a mediadora do evento realizado na manhã desta quinta-feira (03), e recebeu alunos dos cursos de jornalismo, rádio e TV, publicidade e propaganda, além de várias instituições de ensino.

Bruno Xavier, Jornalista formado pela Universidade de Fortaleza, Unifor, é Diretor Geral e Diretor de Fotografia no Coletivo Nigéria (2011), que surgiu quando estudantes de jornalismo idealizaram a proposta de que a informação deveria ser transmitida de uma forma diferente dos meios de comunicação de massa, de modo que as pessoas tivessem a liberdade de falar o que quisessem.

Bruno apoia a ideia de que há muitas informações e grandes histórias dentro dos coletivos, e afirma que o Coletivo é muito mais do que uma ideologia, é uma empresa que traz lucro. Como forma de divulgar o Nigéria, eles se mantêm ativos em TVs públicas e cinemas, buscando sempre um maior alcance possível de pessoas que assistam seus produtos.

Lucianna Silveira, graduanda do 7º semestre em Jornalismo pelo próprio Centro Universitário UniFanor | Wyden, é também fotógrafa e estagiária de comunicação no Centro de Defesa da Criança e do Adolescente – CEDECA – Ceará. Integrante do Coletivo Tentalize desde 2016, ela conta que tudo é questão de prática. “No início todos queriam produzir de uma forma, hoje, após 2 anos, já conseguimos entrar em consenso quanto ao assunto definido e a forma prática de produzir o material”. O primeiro documentário produzido exclusivamente pelo Tentalize foi intitulado “Rotina”, produzido em 2017.

Leo Silva é integrante do Coletivo Tentalize (2016) e deu início a prática do audiovisual após participar de alguns cursos ministrados no Cuca. Ele aponta que o Tentalize surgiu como uma outra alternativa de comunicação, com o intuito de fazer as pessoas narrarem suas próprias histórias dentro do espaço onde estão.

Uirá Porã, Hacker Autodidata, Consultor especialista em Políticas Digitais e membro do Coletivo Instituto Mutirão abordou o conceito de Mídia Ninja como uma mídia também alternativa. Além disso, discutiu sobre os espaços e múltiplas plataformas que possibilitam as pessoas a assistirem os produtos audiovisuais produzidos no Coletivo.

A Semacom ocorre ainda ao longo da tarde e noite de hoje, e amanhã (04) de maio no Centro Universitário UniFanor | Wyden, Campus Dunas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *