Semana da Enfermagem movimenta o Campus Dunas da UniFanor

Texto e imagens: Wagner Ribeiro e Grazielle Santiago

A Semana da Enfermagem do Centro Universitário UniFanor Wyden teve início na quarta-feira, 23, no Campus Dunas. No primeiro dia do evento, aconteceu, no auditório 1, a palestra “Inovações Tecnológicas na Enfermagem e suas Perspectiva no Futuro”, com José Guimarães, Doutor em Saúde Coletiva e ex-professor da UniFanor.

Guimarães ressaltou que vivemos uma era onde a velocidade da revolução e da inovação tecnológica corre muita mais acelerada do que o próprio tempo e a sociedade precisa estar atenta para esse fato. O objetivo da palestra era explora como esse contexto reverbera na enfermagem e como ela se insere nele. “Falar de inovação tecnológica é um desafio no campo da saúde, eu diria particularmente para o campo da enfermagem”, disse o palestrante.

A enfermagem moderna, que coincide com advento da enfermagem científica, é relativamente nova comparada aos outros campos do conhecimento da saúde, surgiu no século XIX. Guimarães esclareceu que devido ao pouco tempo de afirmação como ciências, a enfermagem tem pouca tradição de inovação tecnológica, apesar disso, cresceu muito e vem se afirmando como uma profissão.

Segundo Guimarães os indivíduos tendem associar à inovação tecnológica ao desenvolvimento de produto técnico, mas, a inovação, também, se correlaciona ao método utilizado para realizar um procedimento qualquer, não tem a ver somente com a tecnologia propriamente, mas com as relações, com o processo de trabalho, com os processos de gestão e com todas as dimensões do agir em saúde e não só necessariamente suporte técnico utilizado. “As tecnologias também vão ficando velhas, daí a razão da gente sempre pensar, não necessariamente com muita velocidade em alguns momentos, pensar em evoluir do ponto de vista tecnológico”, afirmou Guimarães.

O palestrante salientou a sua participação em um projeto de pesquisa, que visa o desenvolvimento de um aplicativo para registrar as informações sobre o paciente e o estado clínico do mesmo. O objetivo do projeto é permitir à equipe de saúde a checagem da frequência do paciente as consultas e ao tratamento, propiciando o contanto para lembrar as datas ou acompanhar os motivos da abstenção ao consultório. “Hoje estou trabalhando em um projeto de enfretamento da sífilis. Um dos grandes problemas da sífilis é a não adesão ao tratamento e a descontinuidade. A gente está trabalhando a partir de um laboratório de inovação tecnológica, uma coisa aparentemente básica, mas também de extrema relevância que é aplicativo que nos permita ter um monitoramento adequado para se realizar busca ativas das pessoas”.

Isabella Campelo, Coordenadora do curso de Enfermagem, ressaltou que a Semana da Enfermagem é um projeto desenvolvido em parceria com os professores, os alunos e a UniFanor. Além das palestras a Semana da Enfermagem inovou com os minicursos, que segundo Campelo proporciona um conhecimento maior de algumas temáticas essenciais na formação do portfólio dos alunos.  “Temos como objetivo trazer um pouquinho de novas temáticas, das inovações tecnológicas que está aí na saúde, que precisamos nos inserir e falar um pouquinho do mercado de trabalho”, frisou a Coordenadora.

Julianna Formiga

Jornalista e professora na DeVry Fanor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.