Veganismo: o movimento que está crescendo no mundo

Texto: Beatriz Teixeira

O movimento vegano nasceu em 1944 na Inglaterra por Donald Watson e, quase 70 anos depois, vem ganhando muitos adeptos no mundo, inclusive no Brasil. A prática do veganismo consiste em não consumir nada que seja de origem animal. Além da alimentação, a pessoa não utiliza roupas, produtos de limpeza, cosméticos ou joias que sejam originados de animais, ou seja, se aplicarmos os princípios do veganismo praticados por uma pessoa que passa o dia trabalhando e a noite estuda, é quase impossível de seguir à risca, mas há pessoas nessa situação que conseguem se adaptar.

A estudante de engenharia Késsia Souza, por exemplo, é vegana, passa o dia fora de casa e tem que se ajustar a marmitas ou na compra de alimentos na rua. Ela se queixa que “é difícil encontrar uma variedade de alimentos veganos” e, por isso, sempre anda com algo na bolsa, “eu saio de casa de manhã pra trabalhar e já levo uma fruta ou algo para me alimentar no caminho e quando chego na faculdade a noite é a mesma coisa, sempre levo meu jantar ou outra coisa, pois, é muito difícil encontrar comidas veganas, e quando encontro é tudo muito caro”.

Além da falta de variedade em lanchonetes e restaurantes, os veganos encontram dificuldade no preço desses alimentos, já que em razão da pouca procura, o preço é elevado em comparação com as comidas “normais” do dia a dia brasileiro.

A escolha de ser vegano pode se dar a diversos fatores, mas os principais deles são em razão do sentimento de proteção ao animal e da saúde, ou seja, além de defender a vida animal, o vegano também colabora com a saúde, já que ele vai ingerir alimentos menos prejudiciais e mais ricos em diversos nutrientes.

A nutricionista Antonielle Noronha falou a respeito dos benefícios que o veganismo traz, ela disse que “além de uma alimentação mais saudável, a diminuição da diabetes tipo 2, por exemplo, e dos riscos da pressão arterial pela diminuição do sódio na alimentação, há uma melhora no estilo de vida com relação ao sedentarismo, pois eles procuram trocar o transporte, como carro, pela bicicleta, então essas questões dos hábitos de vida acabam trazendo muitos benefícios”.

Mesmo com a dificuldade em encontrar alimentos veganos, já são cerca de 240 restaurantes vegetarianos e veganos no Brasil, além de lançamentos de pratos e lanches veganos em locais não adeptos do movimento. Seja por amor aos animais ou como um meio de ter benefícios na saúde e melhorar o estilo de vida, o veganismo cresce rapidamente no Brasil e no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *