Prevenção ao câncer de mama

Texto: Beatriz Teixeira e Luis Paulo.

A prevenção ao câncer de mama surgiu por meio de um movimento internacional que nasceu com o objetivo de compartilhar informações sobre a doença e conscientizar a população, que segundo o Inca – Instituto Nacional de Câncer, é o segundo tipo de câncer mais comum em mulheres no mundo, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

O movimento iniciou nos Estados Unidos, em 1997, onde alguns dos estados americanos realizavam ações relacionadas com câncer de mama. Apesar de estarmos no mês de dezembro, vale ressaltar que o mês oficial da prevenção ao câncer de mama é o mês de outubro, uma decisão oficial do congresso americano.

Alguns monumentos no mundo ganharam iluminação rosa para apoiar a causa, locais como a torre Eiffel em Paris, o Empire State Building em Nova York, o palácio de Buckingham em Londres e o Cristo Redentor no Rio de Janeiro são alguns dos lugares que representaram a prevenção ao câncer de mama.

O câncer de mama

O carcinoma da mama, nome científico dado ao câncer de mama é uma das principais doenças em mulheres no mundo todo. Ela ocorre com a multiplicação de células anormais nos tecidos mamários, transformando-se em um nódulo maligno, podendo crescer e atingir a outras partes do corpo, comprometendo ainda mais a mulher.

Em sua fase inicial os sintomas não são sentidos, tendo como primeira suspeita, uma palpação de um nódulo endurecido no seio. Apôs a sensação de palpação no seio, é feito um incentivo à mulher a fazer tais movimentos.

“A prevenção do câncer de mama é feita tanto pelo toque, onde existe até um alto incentivo para as mulheres fazerem o toque na mama, onde ela tem que colocar a mão atrás da cabeça e com a outra mão ela apalpa o peito em movimentos circulares ou em sentido horário, ou, bota a mão em um ponto fixo e faz o movimento circular”, disse Joel Fernandes, 21, estudante do sexto período de enfermagem e funcionário do hospital da mulher de Maracanaú.

Os principais sintomas do câncer de mama:

* Aparecimento de um nódulo duro na mama ou próximo da axila, que pode ser percebido através do toque e do autoexame da mama;

* Saída de líquido pelo mamilo quando pressionado, podendo ser sangue;

* Tamanho ou formato diferente das mamas, que antes não existia;

* Ter a mama inchada, vermelha e quente causando coceira;

* Ferida na mama que não cicatriza e tem mau cheiro.

Mesmo exames de mamografia e o autoexame darem a suspeita do nódulo, a confirmação só é dada quando são feitos exames mais aprofundados com o mastologista, onde vai ser solicitado, se necessário, um ultrassom, ressonância magnética ou biópsia do nódulo mamário. Além disso poderão ser marcados exames de sangue para saber se há alguma inflamação ou marcadores tumorais.

O tratamento do câncer varia de acordo com a gravidade e do estágio do nódulo. O tratamento está disponível pelo SUS, nos centros de Oncologia e em hospitais particulares. Um desses tratamentos é “a cirurgia para a retirada da mama, na prevenção, caso detecte um alto risco de a paciente desenvolver o câncer de mama, supondo que ela é tabagista, ela é elitista (ingere muita bebida alcóolica), se ela tem histórico de câncer de mama em homens na família assim como na mãe, e isso já a torna como fator de risco altíssimo”, afirmou Joel.

Outras formas de tratamento para prevenção é quimioterapia, radioterapia, moduladores de estrogênio, que são os remédios a serem tomados para manter um nível adequado dos hormônios. Mas no caso dos moduladores, são feitas avaliações dos riscos/benefícios, pois uma grande quantidade de hormônios no corpo pode causar efeitos colaterais.

Sobre os fatores de risco, “o câncer de mama não tem uma causa única, ele é multifatorial. E um dos fatores principais de risco é a idade, outros fatores, são fatores endócrinos, histórico reprodutivo com o aumento do estrógeno do próprio organismo, ou através do uso do anticoncepcional, a menarca precoce, menores de 12 anos, primeira gravidez como as de 30 anos, nuliparidade quando nunca teve filhos, e terapia de reposição hormonal, a menopausa com mais de 55 anos”, disse Zilmara Carneiro, enfermeira do Hospital da Mulher de Maracanaú.

Para prevenção ao câncer de mama, é preciso mudar o estilo de vida, adotando práticas saudáveis, como a prática de atividades físicas, se alimentar de frutas, verduras e legumes e tentar evitar alimentos com alto índice de sódio e açúcar. Mas para prevenir eficazmente, é necessário fazer regularmente exames de mama para ter certeza.

Empire State Building em Nova York. Foto: Internet
Torre Eiffel em Paris. Foto: Internet
Cristo Redentor no Rio de Janeiro. Foto: Internet

2.415 comentários em “Prevenção ao câncer de mama